Arquivos do Blog

Promoção Eudora dia dos namorados!

A fragrância do óleo de massagem perfumado S. Excès é uma fusão das fragrâncias masculina (oud wood + notas de couro) e feminina (oud wood + notas de íris) do S. Excès Eau de Parfum. Eu adoro. Marido adora, sempre pede uma massagenzinha nas costas com ele.
O óleo custa R$ 45, eu só tenho um aqui e quero dar de presente pra alguma das minhas clientes, pra passar um dia dos namorados ainda mais especial (se estiver solteira, você escolhe se prefere o óleo de massagem assim mesmo, ou se prefere o hidratante corporal Soul Vanilla Irish Cream Twist, tá?). Pra isso, você precisa fazer um pedido de pelo menos R$ 70 reais até o domingo, dia 26. Não se preocupe: paga quando chegar, e se você for amiga, amiga mesmo, paga quando receber salário.
Opções não faltam: o novo hair mist com as fragrâncias Eudora ou Aurien está um luxo, deixa os cabelos perfumados na medida certa e brilhosos (mas não oleosos!) sem medida; a nova cobertura cremosa para efeito metalizado é uma mão na roda pra transformar o look básico do dia num make loosho pra emendar na night; o body mist Elegant Cashmere é meu novo vício – passo de manhã e fico com aquele cheirinho de conforto o dia todo. Complete com o creme para mãos e passe o dia se sentindo diva.
Se você for do Rio de Janeiro, já te entrego seu pedido na primeira semana de junho. Se não for, ou for mas não conseguirmos nos encontrar, me manda seu cep que orço pac ou sedex pra ti. Você pode aproveitar e já garantir logo um dos kits masculinos pro dia dos namorados (marido, que é BEM chato com perfumes e só usava Eternity, agora fica triste quando acaba o Club 6 ou o Carbon, e já trocou o sabonete + shampoo pelo gel de banho Trip. Fica a dica!).
Faça seu pedido até o dia 26 pelo e-mail lia.amancio@gmail.com ou pelo facebook: http://www.facebook.com/LiaEudoraRJ! E boa sorte!
Anúncios

Agora minha sorte mudou **

Oi. Sumi aqui? Um pouco, mas não por tempo suficiente, como da outra vez, de começar a receber e-mails do Google sugerindo que “alguém pediu para recuperar a senha do domínio boneca.blogspot.com. Se não foi você, não faça nada com este e-mail”. Tou por aqui ainda, alive and kicking, mais alive do que kicking.

* * *

Só ganhei sorteios e promoções 3x na vida. Conto nos dedos e, claro, lembro de todas.

– Aos 12 anos, uma cobiçadíssima bola de vôlei numa excursão da escola ao Sítio Mônica e Márcia. Tentei jogar umas 3 vezes, mas o destino da pobre bola acabou mesmo sendo murchar em cima do armário. Preciso contar uma coisa pra vocês: sempre tive PAVOR de bola. PA-VOR. A pequena Lia, sempre a última a ser escolhida para os times de queimado por sua total falta de jeito com o esporte. Mas que, no entanto, era sempre a NINJA que NUNCA era queimada, acho até que já contei isso aqui. Não por sua destreza incrível e velocidade acima da média, mas por seu pavor real de levar uma bolada. Eu não tava brincando. Eu me recusava a levar uma bolada, e assim nunca levei.

– Aos vinte e pouquinhos, nem tinha MTV em casa. Mas vi na casa de um amigo e, de bobeira à noite na internet, não resisti e entrei no site para responder à infame pergunta sobre as boybands da época: “O que eles têm que os outros não têm?”. Minha resposta “Nada que os Menudos não tivessem” levou um honroso terceiro lugar e cds do NSync, do Five, carteira, button, chaveiro e poster das bandas. VEJA BEM. NSync e Five, e eu já frequentava o Garage que, pra quem não sabe, era uma tradicional casa de shows cariocas famosa por seus shows de hardcore, metal, punk rock e demais inclassificáveis sujeiras, e também por seu público nem um pouco selecionado. Quem se deu bem foi minha irmãzinha.

– Agora essa. Acabo de descobrir que meu banco, juntamente com minha operadora de cartão de crédito, me agraciou com um incrível (que eu nem sabia que estava concorrendo) jogo de facas de cozinha inox coloridas!

Superútil pra quem só come soja e salada!

Quem curtiu, claro, foi o marido. “Oba, churrasco!!”. É… churrasco… tem outra alternativa?

Agora espero ansiosamente aquele tal prêmio mensal de 120 mil que a mesma operadora está dando, mas como um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, imagino que minhas chances de ganhar estão um pouco mais esparsas.

Agradeço aos deuses da boa sorte, de qualquer forma, porque não é sempre que isso acontece. Continuo na torcida, no entanto, por um prêmio um pouco mais adequado. Como já sei que tenho gabarito pra ganhar sorteios e promoções, acredito mesmo que uma hora vai.

** Ouça. É fofo: http://www.youtube.com/watch?v=RZEyruwUNQM

Uma paixão por cultura

E por falar em literatura, há tempos não pegava um livro tão gostoso nas mãos: dei um tempo de Borges e teorias de comunicação, roteiro, inteligências coletivas e multimídia e caí dentro de ‘Uma paixão por cultura’, de Carlos Eduardo Paletta Guedes, um romancezinho simpático escrito num estilo tão fluido que não me tomou mais que uma tarde pra devorar.

Paixao_por_cultura_Layout 1

O livro fala de Fábio, advogado que leva um pé na bunda da namorada porque não tem cultura, conhece uma gatinha fã de música clássica, filmes-cabeça e artes plásticas e corre atrás do tempo perdido para impressionar a menina. O autor aproveita para fazer mais que um simples name dropping de referências pop: fornece um guia de música clássica, filmes-cabeça e cânones da literatura para o leitor incauto que precisa corrigir algumas falhas de caráter (como assistir a ‘A Felicidade não se compra’, de Frank Capra. Já viu? É perfeito). Como se Nick Hornby, além de fazer as listas de cinco mais, te desse o background dos artistas que menciona.

Como produtora cultural diplomada, achei curioso ler sobre apreciação estética e subjetividade do gosto num romance fofo. Como roteirista e escritora com problemas sérios de autocrítica (por isso você nunca leu nada que eu já fiz), li ‘Uma paixão por cultura’ imaginando um longa divertido, com potencial para o mercado internacional e a Maria Flor no papel de Thaís.

PROMOÇÃO!!

Lounge tem um exemplar de ‘Uma paixão por cultura’ pra você. Quer? Então responde aí nos comentários: que filme cabeça você tem vergonha de admitir que não viu (ou não gostou), e por que? Até terça-feira, dia 11 de agosto. A resposta que mais me divertir leva (sim, o critério é subjetivo. É arte. Heh).

* * *
O meu é ‘2001 – uma odisséia no espaço’. Vi. Estava até gostando. Aí dormi. Vi de novo. Dormi de novo. Vi mais uma vez. Dormi mais uma vez. Desisti.

%d blogueiros gostam disto: