Arquivos do Blog

De plutão, pentaquarks, a vida, o universo e tudo o mais

11201505_10153023256442607_3562440740650704663_nPeguei essa imagem lá com a Beth. Pra quem ainda não viu, é uma foto de Plutão.<3 E, sim, isso é importante. É lindo. Como bem lembrou o Roney, presta atenção na qualidade da imagem, e agora tente abstrair e mensurar a distância de plutão pra gente. Foram 9 anos de viagem pra que esse registro fosse possível. Fora o tanto de informação registrada na sonda nesses 9 anos de viagem. Em nota mais ou menos relacionada, a Ge me lembra que os estudos no colisor de hadrons lá do CERN já apontaram a comprovação da existência dos (até então hipotéticos) pentaquarks – grupos de cinco quarks – que vão servir não apenas pra cair na prova de química, como para que os cientistas estudem protons e neutrons com mais precisão, e tenham uma maior compreensão da vida, do universo e tudo o mais (42).

Fé na humanidade: tá tendo. ❤

* * *
Se você gostou deste post, assine minha newsletter. Juro que não sou invasiva e quase não lembro de mandar e-mails. Você vai passar por aquele processo de opt-in duplo, mas vai ser legal, pode apostar.

Boson de Higgs e teoria do Big Bang for dummies

Parece que a existência do Bóson de Higgs está mais perto de ser confirmada pelos cientistas do CERN.

Você LEMBRA, né? Lembra bem da galera que está em Genebra tentando (okay, vou simplificar aqui) reproduzir o Big Bang com um mega colisor de hadrons (hadrons, se você matou as aulas de química na escola, são partículas feitas de quarks, e que variam pelo número de quarks e pelo tipo de spin – e spin é exatamente isso que você acha que é: os movimentos – giros – das partículas).

Boson, seu pervertido, não é um par de peitos. É uma partícula (de spin inteiro, aliás). E esse, especificamente, é chamado de Higgs por causa do cientista que escreveu, há algumas décadas atrás, sobre uma partícula fundamental que, em tese, teria dado origem a tudo.

Imagino que, se você frequenta esse blog, você acredite um pouco na teoria do big bang, não? Por incrível que pareça, a musiquinha do Barenaked Ladies pode ajudar a entender um pouco dessa história aí:


http://www.youtube.com/watch?v=ItIdeKg5kt4

Bom, vamos lá: há rumores de que o universo esteja constantemente se expandindo. Se ele está se expandindo, quer dizer que, retroagindo no tempo, ele deva ter sido menor. Mas o universo está aí há TANTO tempo, que em algum momento ele deve ter sido uma partícula de porra nenhuma. O que minhas tias católicas chamam de ‘e Deus fez a luz’, é algo como a teoria de que o nada que veio antes do universo não era exatamente um nada: era matéria, sabe-se lá em que estado, mas sabe-se que (ou melhor, estão tentando provar isso agora), quente e densa, virou partícula e explodiu. E, no que explodiu, partículas começaram a se juntar, formando outras partículas um pouco mais complexas, que juntas formam outras um pouco mais complexas e agora estamos aqui todos nós, reunidos, emocionados com essa história.

Não, gente, sério. Tou quase chorando aqui de emoção, de verdade. Acho isso lindo demais.

E você com isso? TUDO. Os nerds lá de Genebra estão começando a achar evidências dessas teorias todas – que deram origem ao sol, às belas praias, aos dias bonitos, às luas cheias, aos pandas, aos ornitorrincos, ao chocolate, ao café, ao creme de menta e a você.

Próxima vez que seu filho perguntar ‘de onde eu vim?’, você já tem a resposta pronta…

Teste de percepção interessante

Não, não é o vídeo do gorila (ops, mal aê o spoiler!) e nem a foto da moça de bunda grande atravessando a rua… esse é um experimento científico mesmo. Curti. Tem a ver com campos de visão, atenção e recepção de imagens pelo cérebro. É legal. Quer ver? Olhe esse vídeo. Mas ATENÇÃO: não tire os olhos da cruz que aparece no centro do vídeo.


http://youtu.be/wM6lGNhPujE

As pessoas nas laterais são BEM esquisitas, meio deformadas, né?

Não é????

Agora veja o vídeo de novo. Pode desviar da cruz e ver os rostos com atenção.

Que coisa, não?

Acontece que, tendo que dividir a atenção entre os rostos alinhados pela linha dos olhos e com uma velocidade específica, o cérebro da gente só processa a diferença entre os rostos. Quer dizer, não entendi muito bem, mas como os cientistas também não conseguem explicar exatamente como isso acontece, tá bom.

A pesquisa está aqui: http://mbthompson.com/research/. Mas recebi esse link por aqui. Legal, né?

Coisas que só Lounge faz para você.

Como transformar uma galinha em um dinossauro

Cid, homem inteligente e sagaz, já havia me falado sobre a semelhança entre aves e dinossauros. “Não, tá brincando!”, mas depois de ver os esqueletos lado a lado, você até acha que faz sentido e que avestruzes são descendentes diretas dos grandes lagartos.

ema ema ema
Grauuuuurrr!

Então vimos a incrível TED Talk de Jack Horner, paleontólogo das estrelas, sobre como a premissa de ‘Parque dos Dinossauros’ é completamente equivocada e, se você quer mesmo reconstruir um dinossauro, basta modificar geneticamente uma galinha:

Simples assim!!!! 🙂

Impressionante, eu diria. Porque o argumento é convincente e vai além da mera análise de formato dos esqueletos: Horner fala sobre atavismo, enquanto namorado (que acho que gostaria de ter sido paleontólogo também) se emocionava e dava pulos de alegria aqui do lado.

Aí resolvi imaginar como seria um galinhossauro… seria mais ou menos assim:

Galinhossauro

Feliz dia dos namorados, baby.

E você sempre esteve certo sobre isso.

%d blogueiros gostam disto: