Arquivo da categoria: Uncategorized

Figurino do primeiro dia no trabalho super formal

Figurino do primeiro dia no trabalho super formal

Imperial brown jacket
345 BRL – yoox.com

Antonio Berardi evening pants
860 BRL – bysymphony.com

The North Face clothing
235 BRL – backwoods.com

Leopard print shoes
100 BRL – shein.com

Dolce Gabbana top handle bag
5.550 BRL – farfetch.com

Vintage eyeglass
36 BRL – shopzerouv.com

Mac cosmetic
61 BRL – belk.com

Anúncios

Cores vibrantes

Cores vibrantes

Ted Baker red dress
365 BRL – johnlewis.com

Ivory necklace
1.365 BRL – chairish.com

Long wear lipstick
29 BRL – bhcosmetics.com

Hypoallergenic eye makeup
23 BRL – etsy.com

Faça o seu dia ser incrível

image

Ninguém disse que seria fácil.
Falta tempo? Falta dinheiro? Falta ânimo? O que você pode fazer de EFETIVO pra otimizar seu tempo, levantar mais verba ou aumentar seu nível de energia?

Reclamar é que não vai ajudar em nada. Varrer problemas para debaixo do tapete ou tentar esquecer o dia de bosta que você teve também não vai mudar em nada sua vida.

Mãos à obra.

E se não souber muito bem como fazer, me escreve que eu te dou uma forcinha.

[Portfólio] Revista Rolling Stone Brasil

Aqui tem alguns textos que escrevi pra Rolling Stone Brasil. Infelizmente, as resenhas de discos não dispõem de versão online, mas os textos pra Acontece e pra R’n’R estão devidamente linkados abaixo. Divirta-se:

http://rollingstone.uol.com.br/edicao/2/cabaret

http://rollingstone.uol.com.br/edicao/4/voz-del-fuego-lingerie-underground

http://rollingstone.uol.com.br/edicao/5/canastra#imagem0

http://rollingstone.uol.com.br/edicao/5/bolachas-recheadas

http://rollingstone.uol.com.br/edicao/7/erika-martins-e-os-telecats

A lista completa, copio do meu Lattes:

1. AMANCIO, L. P. . Bolachas Recheadas: Selos, colecionadores e sebos ajudam a manter aceso o culto ao vinil. Rolling Stone, São Paulo, SP, p. 22 – 22, 10 fev. 2007.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Música.
Referências Adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Data de publicação: 10/02/2007.

2. AMANCIO, L. P. . Canastra: música para encantar. Rolling Stone, São Paulo, SP, p. 34 – 34, 10 fev. 2007.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Música.
Referências Adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Data de publicação: 10/02/2007.

3. AMANCIO, L. P. . Lasciva Lula – Sublime Mundo Crânio: no limite saudável entre rock e arte. Rolling Stone, São Paulo, SP, p. 99 – 99, 10 fev. 2007.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Música.
Referências Adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Data de publicação: 10/02/2007.
Resenha.

4. AMANCIO, L. P. . Érika Martins & Telecats: Banda da ex-Penélope faz pop maduro e açucarado. Rolling Stone, São Paulo, SP, p. 48 – 48, 10 fev. 2007.
Referências Adicionais: Brasil/Português; Data de publicação: 10/02/2007.

5. AMANCIO, L. P. . Voz del Fuego & Lingerie Undergorund: Elas querem conquistar o universo. Rolling Stone, São Paulo, SP, p. 39 – 39, 10 jan. 2007.
Referências Adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Data de publicação: 10/01/2007.

6. AMANCIO, L. P. . Badi Assad: Wonderland. Rolling Stone, São Paulo, SP, p. 117 – 117, 10 jan. 2007.
Referências Adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Data de publicação: 10/01/2007.
Resenha.

7. AMANCIO, L. P. . Monica Tomasi: Quando os versos me visitam. Rolling Stone, São Paulo, SP, p. 117 – 117, 10 jan. 2007.
Referências Adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Data de publicação: 10/01/2007.
Resenha.

8. AMANCIO, L. P. . Laura Pausini: Io Canto. Rolling Stone, São Paulo, SP, p. 117 – 117, 10 jan. 2007.
Referências Adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Data de publicação: 10/01/2007.
Resenha.

9. AMANCIO, L. P. . Quatro Fantásticos: Cirque du Soleil inspira caça-níqueis e reforça genialidade dos Beatles. Rolling Stone, São Paulo, SP, p. 112 – 112, 10 dez. 2006.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Música.
Referências Adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Data de publicação: 10/12/2006.
Resenha.

10. AMANCIO, L. P. . Cabaret: Quando rock e teatro se encontram. Rolling Stone, São Paulo, SP, p. 29 – 29, 10 nov. 2006.
Referências Adicionais: Brasil/Português; Meio de divulgação: Impresso; Data de publicação: 10/11/2006.

[Portfólio] Revista TPM – Movimento Circular

Tenho o maior orgulho dessa matéria que escrevi sobre uma das minhas maiores paixões: o bambolê. A matéria foi publicada na revista TPM de novembro de 2013. Aqui, o link para a versão online. Abaixo, o texto colado:

http://revistatpm.uol.com.br/revista/137/reportagens/movimento-circular.html

MOVIMENTO CIRCULAR
Que coisa de criança, que nada! Uma adepta conta por que o bambolê voltou com tudo

Há quem ainda acredite que o bambolê é coisa de criança. Mas ele é assunto de gente grande e, a cada dia, ganha mais adeptos graças a benefícios físicos e mentais: os movimentos circulares foram parar nas academias, prova de que o exercício é pra valer. Assim como eu, muitas mulheres que se encantaram por essa atividade – que é para homens também, mas só os que conseguem ultrapassar o estigma de que “homem não rebola” – têm transformado suas vidas, cuidando da cabeça, do corpo, fazendo amigos e se divertindo.

Eu mesma não me imaginava praticando. Era a gordinha CDF da turma, passei a infância lendo, escrevendo e desenhando. Pouco tempo atrás, vi a nerdice e o exercício físico convergindo: lembra do lançamento do Wii Fit, aquele videogame que vinha com um sensor de movimentos? A turma techie ficou louca com a novidade e, pouco depois, surgiram vídeos e mais vídeos de pessoas rebolando com bambolês invisíveis.

Mal sabia eu que o bamboleio tinha tantos adeptos, e há um bom tempo. Aqui no Brasil, o bambolê ganhou força graças à cantora e performer carioca Silvia Machete, que, além de ter um gogó de ouro, é artista circense. Mais ou menos na mesma época, em Porto Alegre, a tradutora Mariana Bandarra começava a pesquisar o bambolê como forma de expressão e dança e, em 2008, no Rio de Janeiro, a dançarina Lana Borges organizou o primeiro encontro da Ahaha (Associação Holística Artística e Histórica do Aro).
Malhação
Além da questão lúdica, não dá para desprezar o que o rebolado faz pelo corpo – dizem, por exemplo, que a cantora e apresentadora Kelly Osbourne perdeu vários quilos assim. É fato que o bamboleio é uma atividade física, que queima calorias e molda o corpo. Quem leva o bambolê a sério nota diminuição de medidas, fortalecimento das costas, da lombar e dos braços. Mas, mais do que isso, é unânime em dizer que a perda de centímetros é o menor dos benefícios – o melhor é poder se divertir incrivelmente. Mais libertadora e lúdica do que emagrecedora, a atividade diminui a ansiedade ativando a produção de dopamina pelo cérebro, melhora a coordenação motora e a consciência corporal.

E não precisa ficar restrito à cintura: girar o arco no peito e na região dos ombros alivia a tensão do trapézio e do pescoço e dá um up na postura, como explica Pitila Hossmann, 37 anos, instrutora de ioga e fundadora da Bambolê Arte. “Na ioga, essa é a área do chacra do coração, e o movimento estimula essa energia, reduzindo a timidez, aumentando a confiança e a autoestima, estimulando o amor e os relacionamentos emocionais sadios.”

Em tempos em que o individualismo é a regra, não tem como deixar de perceber que o bambolê e sua prática aproximam pessoas. A carioca Edilaine Guerreiro, 35 anos, assumidamente tímida, confessa que usa o bambolê como ferramenta socializadora nos lugares aonde vai. “Minha onda é dançar dentro dele, usar como escudo, me isolar do mundo e me soltar, mas acabo conhecendo pessoas.” Patricia Arnosti, 34, arte-educadora e professora de bambo-dança em São Paulo, afirma se sentir protegida dentro do círculo e ter sua autoestima elevada pela atividade, que também a ajudou a recuperar o corpo que tinha antes da gravidez.

O mesmo acontece com a gaúcha Gabriela Camargo, tradutora e pesquisadora em dança, que garante que as mudanças físicas se devem mais à ativação mental do que ao exercício em si. Segundo ela, o bambolê proporciona uma “autoaceitação radical”, por ser uma atividade democrática, independente de tipo de corpo, localização geográfica ou intenção artística. “Depois do bambolê, me tornei uma pessoa menos ansiosa e mais sociável”, diz.

Vai lá: Há muitos encontros ao ar livre de adeptos do bambolê, em geral marcados pelo Facebook. Dá pra acompanhar tudo pelo grupo Bambolê Brasil, que reúne gente de todo o país e tem dicas de aulas, lojas, tutoriais e truques.http://www.bambambam.wordpress.com //http://www.facebook.com/groups/155315264510352

*Lia Amancio, 35, é profissional de comunicação, mora em Niterói e pratica bambolê desde 2009

Polyvore

Gente, há quanto tempo eu não usava o Polyvore!
Pra que serve, mesmo?Mexico

Meu dia de diva – ou: uma hora chego lá

Pois na semana passada – mais precisamente no dia 5 de dezembro – cantei no CIRCO VOADOR.

Cara, cês não tão entendendo. Quer dizer, Cid entende – já contei que conheci meu consorte quase 20 anos depois de vê-lo tocando bateria no Circo, né? A Simone, a Flavinha, a Geh e a Érika entendem. Mas pra mim é, ainda, meio surreal. Surreal porque sempre me vi mexendo com música, mas nos bastidores: já produzi, já fotografei e já escrevi um bocado – mas cantar, era só no chuveiro e no videokê. Agora é no Circo Voador. Acompanhada dos fabulosos Uisqueletos. Fazendo as honras pro Ira! ❤

Circo Voador, aquele lugar onde eu queria trabalhar quando eu tinha uns 19 anos, mesmo sabendo que estava fechado por tempo indeterminado. Eu queria ser assistente da Maria Juçá. Eu achava aquele projeto o máximo. E hoje ainda acho. E se você também acha, aproveite e leia o livro:

Leitura obrigatória pra galera de produção cultural. Botei o link pro livro na Livraria Cultura, mas se você comprar na lojinha do Circo sai bem mais barato.

* * *

Cada vez que eu escrevo algo aqui, lembro de como foi bom e sorrio, o que torna a jornada mais suportável.

Que jornada? A minha jornada rumo à realização pessoal e ao tempo livre, ué. O Projeto AutoAjuda. Esqueceu?

Não vou entrar em detalhes aqui, mas o excesso de produtividade está matando meu estômago – literalmente. Agora é hora de usar essa produtividade toda pra facilitar a minha vida, e não pra mostrar pros outros que eu dou conta.

É um processo.

Aceito sugestões de como conseguir.

Beijos e bom fim de semana!

Pra quem quer bambolear, algumas dicas

Acabei de criar uma página aqui no site, que eu já estava devendo há um bom tempo: pra você que bamboleia (ou quer bambolear), quais são as comunidades, os grupos no Facebook, os bons canais com vídeos tutoriais? Eu sempre mando essas informações para quem compra bambolês comigo, mas faltava um link único que eu pudesse enviar (e atualizar sempre).

Clica aqui, ó: http://liaamancio.com.br/bamboleie/

A página estará em constante atualização, já que estou sempre vendo vídeos e procurando novas fontes.

Espero que você, que acabou de comprar um bambolê e não sabe muito bem por onde começar ou onde encontrar gente doida como você, consiga se apaixonar pelo aro tanto quanto eu.

Divirta-se!

image

Cadê a Maggie?

Sylvain Chomet você conhece, certo? “La vieille dame et les pigeons“, “Les triplettes de Belleville“… se não conhece, deveria.

Pois ele fez uma nova ‘couch gag’ pra intro dos Simpsons. Como fã que sou, curti. E você? Diz aí:

Link-o-rama 7/12/2013 – tudo ao mesmo tempo agora!

Não esqueci de vocês não, só que tenho trabalhado pacas, estudado música pacas e ganhando dinheiro me divertindo pacas. A bem da verdade, considero que ainda estou mais na fase do INVESTIMENTO do que do RETORNO. Mas o investimento está começando a se pagar, então acredito que o retorno VEM. Enfim. Esse post não é pra isso.  Esse post é pra manter vocês atualizados do mundo. Ou pelo menos do MEU mundo:

– Trabalho em família: esse pai (e excelente colorista), deu um UP nos desenhos dos filhos. O resultado é bem divertido, veja com seus próprios olhos.

– Meio mundo lembrou de mim com essa matéria sobre uma cidade na Suécia onde as pessoas vivem como se estivessem nos anos 50. Por que será? Hein? Hein? Sério, recebi esse link ALGUMAS vezes. E adorei todas! 🙂

– A Zellig lançou coleção nova inspirada no surrealismo, com uma pitada de kitsch. A D!versa aderiu. E eu também.

– Constatei que, por mais que eu sempre tenha sido uma criança inteligente e com múltiplos talentos, e que tenha crescido em um lar onde meus pais me apoiariam em qualquer decisão que eu tomasse – ou seja, se quisesse ser ASTRONAUTA teria conseguido – UMA coisa é certa: ainda bem que eu não decidi ser mulata Globeleza. Seria muita frustração, minha gente. ESSE talento e aquele corpaço eu, definitivamente, não tenho (a melanina a gente até dá um jeitinho).

Fiz novos bambolês.

– Sábado dia 7 (tipo HOJE, né?) tem show do Uisqueletos no Rio de Janeiro. Desta vez, animaremos a festa Oh! Play that thing no Saloon 79, em Botafogo. dia 15, domingo, voltaremos ao Saloon para fechar com chave de ouro o evento Zebra Significa.  Acompanhe nossa página no facebook para mais detalhes!

– E você achava que aquele programa todo editado, só porque tem uma câmera apontada pra não-atores, era reality show. Reality show é ISSO, amigo: pessoas passando 13 horas fazendo TRICÔ, 18 horas numa PESCARIA DE SALMÃO… só na Noruega mesmo.

– Morreu Nelson Mandela. Morreu o Gerson, do boteco da Lapa, de uma maneira altamente estúpida (assalto à mão armada. maior m****). E, com isso, passei as últimas horas me perguntando: o que posso fazer por alguém pra ajudar a diminuir a criminalidade, já que depender do Estado nem sempre adianta? Ajudar a educar? Levar arte e cultura para crianças? Mostrar que existem outros caminhos possíveis, universos divertidos, criativos e que podem até se desdobrar em trabalho? É uma. Xou pensar aqui em algo. Aceito sugestões.

No mais, é isso aí. Queria escrever mais, contar mais dos meus projetos bacanésimos aqui, mas me lembrei que o tempo que eu gastaria ESCREVENDO SOBRE é mais ou menos o tempo que uso pra BOTAR EM PRÁTICA. Segunda opção, entonces.

Last but not least, nunca frequentei muito o NãoSalvo, mas inventar um aplicativo polêmico (Tubby, um app criado para difamar a mulherada) pra sambar na cara da mídia-que-não-apura e de toda uma geração de internautas que sai por aí autorizando dados sem nem o lance EXISTIR é simplesmente genial.  Vocês estão de parabéns.

Bom fim de semana!

wpid-Phonto_Sophia_Canopus.jpg

%d blogueiros gostam disto: