Cidade do México – comida, comida e mais comida

Na Cidade do México, onde passei uma semana nessas férias, (veja aqui e aqui) eu tinha um ritual matinal: diariamente, em jejum, tomava um copo de água e um comprimido de omeprazol. Esse ritual, dizem, protege o visitante da Maldição de Montezuma.

Dizem que é para não beber água de procedência duvidosa, apenas água engarrafada. Também dizem pra evitar sopas. Como Nossa Senhora do Omeprazol me protegeu a viagem inteira (a comida lá é frita, condimentada ou as duas coisas), chutei o balde.

Não, não tirei foto de tudo o que comi. E nem comi tudo o que fotografei, claro. Mas, sim, fotografei bastante coisa. Vai vendo:

Tacos de porco:

2015-03-03-Cidade do México
Boa parte da culinária mexicana é à base de milho, mas as tortilhas que vêm nos tacos são praticamente impossíveis de serem reproduzidas aqui. Bom, eu, pelo menos, não tou com coragem de comprar aquela farinha de milho Granfino com aquele mega símbolo TRANSGÊNICO, então até lembrar da feira de orgânicos no Campo de São Bento, não haverá tortilha.

Cid “El loco” vivendo peligrosamente: mal chegou, já lascou pimenta no seu taco:

2015-03-03-Cidade do México

A pimenta mexicana não é para amadores:

2015-03-03-Cidade do México

Aliás, não é para amadores MESMO:

2015-03-05 molhos

Nopalitos em tacos:

2015-03-05 nopalitos!

Nopal é um cacto que existe aqui no Brasil, conhecido como Raquete de palma:

2015-03-07 Piramides de Teotihuacán
A raquete de palma também é comida no Nordeste, embora não com muito orgulho (é tipo farinha, saca? Come-se pra encher, não porque é um prato chique). Pois fritinho e acebolado fica chique, sim, e sou a favor da popularização da raquete de palma no Brasil inteiro e VAMOS CULTIVAR CACTO, gente, porque isso é barato, floresce em qualquer lugar, é uma delícia. E contém, basicamente, água, fibras, vitamina C, minerais e ajuda a combater o colesterol.
Sério. Preciso me mudar pra uma casa e plantar cactos no quintal.
Na falta do nopal, dizem que o quiabo tem um efeito parecido. Não testei. Quero nopalitos. Nham.

Frijoles refritos (e michelada):
DSC_0076

Huevos rancheros (no café da manhã delícia do hotel):
2015-03-05 desayuno

Churros:
2015-03-03-Cidade do México

Não comi nada dessas barraquinhas. Amarelei. Mas bem comi uns chips (também condimentados, praticamente impossível achar algo não apimentado na seção de snacks tipo Elma Chips das lojas de conveniência:
2015-03-04 Bosque de Chapultepec

Nesta sorveteria, pensei: que sabor de sorvete eu não vou encontrar no Brasil?
2015-03-06 Coyoacán
Pepino com chili e figo com pisco, MAS É CLARO!!!!!!!

Paleta mexicana existe, sim. Mas você pode parar de frescura e chamar de PICOLÉ:

2015-03-06 Coyoacán

E é claro que deixei o mais pitoresco pro final. Vegans, BEWARE:

2015-03-06 Coyoacán

Sim. Rolou pozole. Aquela sopa que, na era pré-colombiana, era feita com carne humana – e nos dias de hoje sobrou pro pobre do porquinho. Leia aqui sobre a origem do pozole. Leva milho, tomate, rabanete, cebola, e mais umas coisas QUE NÃO RECONHECI. Mas você ir pro México e comer no McDonalds é demais pra minha cabeça. Uma vez no México, coma como os mexicanos. Tá no país, vai comer comida local SIM. A experiência precisa ser completa.

É só tomar seu omeprazol 🙂

Anúncios

Publicado em abril 20, 2015, em Blog e marcado como , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: